Notícias

Encontro técnico recomenda reenquadramento do rio Jundiaí como classe 3

  • Publicação: 25/09/2013 09:07h
  • Redator(es): Sérgio Mateus Squilanti
  • Release N.º: 1828

Foto

Foto: Giuliano Miranda DCS/SAAE

Representando o prefeito Reinaldo Nogueira (PMDB), presidente do Consórcio dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), o superintendente do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgotos), engenheiro agrônomo Nilson Alcides Gaspar, participou segunda-feira (23/9), no auditório do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em Jundiaí, do encontro técnico que comemorou 30 anos de Recuperação do Rio Jundiaí.

O evento foi organizado pela Agência Ambiental da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), de Jundiaí, com o apoio do Saae de Indaiatuba, Sabesp (Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo), DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Jundiaí, CSJ (Companhia de Saneamento de Jundiaí), Saae de Salto e Eucatex, entre outros apoiadores.

Além de compor a mesa de autoridades, Gaspar foi homenageado com a entrega de placas comemorativas do evento, e elogiado por Domenico Tremarolli, gerente da Agência Ambiental da Cetesb de Jundiaí, pelas obras de saneamento que Indaiatuba está realizando, que se destacam entre as que estão sendo realizadas pelas cidades no curso do rio.

O superintendente do Saae destacou a extrema importância atribuída pelo prefeito Reinaldo Nogueira à despoluição do Rio Jundiaí, e os investimentos realizados e a realizar para que Indaiatuba alcance a meta de coletar e tratar 100% do esgoto da cidade.

“Não poderia deixar de agradecer o apoio que tivemos durante todos esses anos de Domenico Tremarolli, que nos auxiliou, nos orientou, e que é sem dúvida um dos principais responsáveis pela boa situação em que o Rio Jundiaí se encontra hoje”, enalteceu Gaspar.

Dentre as obras executadas pela Prefeitura e Saae, Gaspar citou a construção da Estação de Tratamento de Esgoto Mário Araldo Candello, que será adequada e ampliada, para coletar e tratar também o esgoto dos imóveis da margem esquerda do Rio Jundiaí, da região de Itaici, que hoje se utilizam de fossas sépticas, e a construção do interceptor de esgoto da margem direita do Rio Jundiaí, com 15 km de extensão, cujas 2ªe 3ª fases estão sendo executadas, já tendo sido inaugurada a 1ª fase, com 6,5 km,

O superintendente lembrou ainda a execução de emissários de esgoto como os do Buruzinho, e do Parque Indaiá, e a substituição de um grande trecho do emissário de esgoto da margem esquerda do Córrego do Barnabé, entre tantas outras obras de saneamento que estão sendo realizadas pelo prefeito Reinaldo Nogueira.

Prefeitos, secretários municipais, e autoridades de Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Itupeva e Salto, também prestigiaram o encontro.

O período da manhã foi dedicado a homenagear autoridades que nesses 30 anos atuaram em prol da despoluição do rio, desde a criação do Cerju (Comitê de Estudo e Recuperação do Rio Jundiaí), até os dias atuais.

No mesmo período, Domenico Tremarolli, com base nos levantamentos da Cetesb, demonstrou de forma clara e científica que o Rio Jundiaí já tem condições de ser reenquadrado como Classe 3, a que permite captação para abastecimento público.

“Hoje, todas as cidades no curso do Rio Jundiaí já tratam seus esgotos. O resultado da análise das amostras em vários pontos do rio, da montante à jusante, alimentam o entusiasmo pela reclassificação do Rio Jundiaí como Classe 3, por atender aos parâmetros definidos pela legislação ambiental e portarias do Ministério da Saúde; reclassificação que também é recomendada pelos Comitês PCJ”, destacou o gerente da Cetesb-Jundiaí.

À tarde, um detalhado diagnóstico de como se encontra o tratamento de esgoto em Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Itupeva, Indaiatuba e Salto foi apresentado por representantes desses municípios, que informaram também sobre as obras planejadas para alcançar a recuperação total do rio.

Além do trabalho excepcional desenvolvido pela ETE de Jundiaí, desde 1998, destacou-se também a entrada em operação, em dezembro do ano passado da ETE de Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista, e a da ETE de Itupeva, ambas da Sabesp, em junho do mesmo ano; inaugurações que deram um grande impulso à despoluição do rio.

Indaiatuba apresentou um vídeo de cinco minutos sobre todos os investimentos realizados pela Prefeitura e Saae nos últimos 16 anos, pela despoluição do Rio Jundiaí, e em prol do desenvolvimento sustentável da cidade; vídeo muito elogiado pelos presentes, que sugeriram sua apresentação nas escolas, indústrias, sociedades amigos de bairros, entre outros locais.

O processo de reclassificação do Rio Jundiaí depende agora da aprovação dos Conselhos de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo e do Estado de Minas Gerais, e do Conselho Federal de Recursos Hídricos, além da alteração do Decreto de classificação dos rios estaduais, a ser assinado pelo governador Geraldo Alckmin, o que pode acontecer já no primeiro semestre de 2014.


Notícias relacionadas