Notícias

Restauro do Casarão é entregue à população

  • Publicação: 28/04/2014 16:42h
  • Redator(es): Gil Nunes
  • Release N.º: 536

Foto

Foto: Eliandro Figueira – SCS/PMI

A Fundação Pró-Memória entregou no domingo (27) o restauro do Casarão Pau Preto. O local estava interditado há cerca de um ano, após problemas causados em sua estrutura devido ao rompimento de uma adutora na rua Pedro Gonçalves. “Não medimos esforço para colocar o Casarão com as suas características originais”, comenta o prefeito Reinaldo Nogueira (PMDB). “Também quero agradecer o Geiss (Antonio Reginaldo Geiss, que é presidente da Fundação), pois graças a ele, em especial, e a toda a equipe da Fundação, a história de Indaiatuba está sendo preservada e somos considerados uma das melhores cidades também em preservação de memória”, completa.

O superintendente da Fundação, Carlos Gustavo Nobrega de Jesus, agradeceu o empenho de todos no restauro. “Tivemos uma união de forças das Secretarias para que o trabalho fosse feito da melhor maneira possível e em tempo recorde, pois um restauro desse porte poderiam demorar mais de cinco anos e conseguimos finalizar em cerca de um ano”, relata. “Durante os trabalhos foram encontrados algumas dificuldades como a presença de cupins na madeiramento, entre outras, mas optamos por manter as características originais do Casarão, que é uma aula de história no que se refere a técnicas construtivas”, relata.

O evento também contou com a participação do deputado estadual Rogério Nogueira (DEM) que lembrou a importância da parceria da iniciativa privada. “A participação das empresas Exsa e Congesa no restauro do Casarão mostra a credibilidade da administração municipal”, acredita. Também estiveram presentes o presidente da Câmara Municipal, o vereador, Luiz Alberto Pereira (Cebolinha) (PMDB), Luiz Carlos Chiaparine (PMDB) e Mauricio Baroni (PMDB).

O evento contou com a benção dada pelo padre Marcelo Donizetti Previatelli, da Paróquia Nossa Senhora da Candelária e a apresentação da Corporação Musical Villa Lobos, com um repertório de músicas nacionais. “Também fizemos a distribuição pelo ambiente do complexo histórico de barracas de alimentação com intuito de arrecadar renda para entidades assistenciais”, Gustavo.

EXPOSIÇÃO

Também haverá três exposições: Vida do compositor Nabor Pires de Camargo, 20 anos da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba: Restauro do Casarão Pau Preto e Inspiração do Barroco Mineiro da AMAP (Associação Marianense de Artistas Plásticos). “Ressaltamos a relevância, pois a exposição da AMAP que vem da cidade de Mariana, Minas Gerais, é uma oportunidade única de se conhecer o que é melhor da arte barroca brasileira, pois tal região foi o berço de tal estilo artístico revelado por Aleijadinho e que fez o Brasil ficar conhecido artisticamente no mundo a partir do século XVIII”, comemora.

A exposição contará com participação de 25 artistas plásticos. “Graças a parceria entre Fundação Pró-Memória, AMAP e Prefeitura Municipal de Mariana essas obras estarão Casarão, situação inédita na cidade. Poucas cidades do Brasil tem a oportunidade que Indaiatuba terá de apreciar a exposição que roda o mundo capitaneada pelo Presidente da AMAP Edney do Carmo”, revela.

Segundo Gustavo, Mariana, é celeiro de pintores e escultores desde o século XVIII e o guarda o legado cultural que respira nos atelieres existentes na cidade de forma fiel aquilo que faz de seu patrimônio um traço vivo da cultura brasileira. Das primeiras obras de arte realizadas ainda no primitivo Arraial do Carmo até a contemporaneidade, a ciência e a técnica caminharam juntas através do tempo, guiadas pelas mãos de artesãos, mestres de ofício, artistas e seus aprendizes. “O fazer significa, pois, mais que produzir. É também ensinar e perpetuar. Criar não apenas a obra, mas também criar artistas para o tempo num sentido contínuo que leve para o futuro o que herdamos de nosso passado”, acredita.

A Associação Marianense dos Artistas Plásticos – AMAP reúne um grupo de herdeiros da ciência e da técnica de se produzir arte. A variada produção da AMAP expressa, para além de uma reinterpretação do passado colonial mineiro, um cenário contemporâneo de contínua busca e construção de uma identidade brasileira, nacional, dotada de todas as semelhanças e diferenças que constituem a diversidade de nossa cultura.

Com o mesmo afinco com o qual desbravadores bandeirantes se lançavam aos caminhos das minas na busca do ouro, a AMAP se entrega aos caminhos do mundo para levar um legado cultural que nos foi dedicado pela história. Para mostrar que a técnica e a ciência ainda vivem através das mãos de nossos artistas plásticos despertando um prazer que só a arte pode proporcionar aos sentidos humanos. “Nesse sentido, A AMAP acolheu o convite feito pela Fundação Pró-Memória de Indaiatuba/SP para realização da exposição de Inauguração de Restauro do Casarão Pau Preto, e além disso proporcionará, gratuitamente na primeira semana de reabertura do Casarão oficinas de arte, para estudantes, professores e público em geral”, revela.

O nome do evento integrado a exposição é Atelier Itinerante Da Amap", onde a Associação Marianense dos Artistas Plásticos, cumprindo sua finalidade de promoção cultural e estimulo à prática dos artistas plásticos, traz os atelieres dos membros associados para eventos de porte variado, propondo uma política pública de interação com os visitantes, inclusive turistas, promovendo exposições dos trabalhos em desenvolvimento, bate-papos, palestras sobre seus trabalhos e oficinas. “Será uma grande festa que durará uma semana e que terá o intuito não somente de festejar a nova fase do Casarão, mas sim uma política de conscientização de preservação do patrimônio histórico, da importância da cultura e da memória empregada pela Fundação Pró-Memória e a Prefeitura Municipal de Indaiatuba”, finaliza.

OFICINAS

Acontece até o dia 03 de maio três oficinas: Entalhe em Madeira, Policromia e de Incentivo à Produção e ao Olhar Artístico, através da Pintura em Tela. As oficinas serão ministradas pelos integrantes da AMAP (Associação Marianense dos Artistas Plásticos): Cesar Augusto Ferreira Guimarães, Thuko de Oliveira, Edney do Carmo, Geraldino Silva e Edésio Rita de Souza.


Notícias relacionadas