Economia

Agricultura

Durante o século XVIII, Indaiatuba foi grande produtora de cana-de-açúcar, então uma característica de toda a região de Itu. Note-se que, na Província de São Paulo, o primeiro engenho horizontal com cilindros de madeira para moer cana foi construído em Indaiatuba.

Na segunda metade do século XIX, tinham maior importância econômica a cultura de cana-de-açúcar e a do café.

A década de 1930 assistiu a emergência da cultura do tomate, sobretudo em função da fixação de famílias japonesas no município. O município foi durante muito tempoo, exclusivamente, produtor de café, algodão e batata. Nos últimos anos as culturas permanentes, notadamente a fruticultura, vêm aumentando progressivamente a sua produção em relação às culturas temporárias, a exemplo da uva, morango (100 mil pés com produção anual de 50 toneladas); tomate (2 milhões de pés e produção de 400 mil caixas); batata (área plantada de 200 alqueires e produção de 300 mil sacas); frango (600 mil cabeças/mês e produção de 7,2 milhões de cabeças/ano); leite (2 mil litros por dia).

A uva é hoje a principal cultura agrícola do município, um dos maiores produtores estaduais. Com mais de 7 milhões de pés produzindo cerca de 4 milhões de caixas por ano, completa o abastecimento no Estado de São Paulo.