Notícias

Indaiatuba recebe Copa Brasil de Paraciclismo nos dias 14 e 15

  • Publicação: 12/04/2018 09:58h
  • Redator(es): Márcio Aguiar
  • Release N.º: 281

Foto

Foto: Arquivo - Giuliano Miranda /RIC-PMI

Abrindo o calendário de competições do paraciclismo nacional, Indaiatuba recebe no fim de semana (14 e 15), a 1ª Etapa da Copa Brasil de Paraciclismo de Estrada e Contrarrelógio, realizada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e Federação Paulista de Ciclismo (FPC).

No sábado, às 8h, ocorre as provas do Contrarrelógio, com largada e chegada na avenida Clóvis Ferraz de Camargo (entre a as ruas Benedito Carvalho e Irmã Maria Angélica), no bairro Campo Bonito. No domingo, às 8h, também no mesmo percurso, acontece as provas de Resistência.

Entre os principais paraciclistas pré-inscritos para o estágio, estão vários medalhistas internacionais como Lauro Chaman, que faturou o ouro no Mundial de Pista do Rio, no mês passado e, o catarinense Soelito Gohr, que já foi campeão mundial por três oportunidades e contabiliza vários títulos nacionais.

A edição é um dos principais eventos do calendário nacional e contará pontos para o ranking nacional. O estágio contará com as provas de Ciclismo (C1, C2, C3, C4 e C5), Handbike (H1, H2, H3, H4 e H5), Tandem B e Tricycle (T1 e T2). Atletas de seis estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul), se inscreveram em 13 categorias nas quatro modalidades. Somente poderão participar do evento oficial, ciclistas (piloto) e paraciclistas filiados a CBC.

Ciclismo (C1 a C5)

Os atletas competem em bicicletas convencionais. As classes são direcionadas aos competidores com deficiência físico-motora e amputados.

Handbike (H1 a H5)

O handbike é praticado por atletas que não tem os movimentos nos membros inferiores (paraplégicos e tetraplégicos), e impulsionam as bicicletas adaptadas (handbike) com os braços. A modalidade é disputada com equipamento que tem o mesmo princípio de uma bicicleta comum, considerando algumas peculiaridades: três rodas para manter o aparelho estável no chão quando não está em movimento, freio de mão na roda dianteira e para-choque para proteger de uma batida entre duas handbikes em uma corrida, evitando acidentes.

Tandem Bike

Classe destinada aos deficientes visuais. As bicicletas (Tandem Bike) são de dois lugares e o ciclista da frente, ou piloto, enxerga normalmente. Originalmente eram construídos soldando os quadros de duas bicicletas. Atualmente são construídos tandens para as competições de estrada e montanha.

Tricycle (T1 e T2)

Ciclistas com paralisia cerebral cuja deficiência impede de andar em uma bicicleta convencional competem em triciclos.


Fotos


Notícias relacionadas