Notícias

Arqueólogos trabalham na região da futura Barragem do Piraí

  • Publicação: 16/04/2018 15:52h
  • Redator(es): Marco Matos - DCS Saae
  • Release N.º: 295

Foto

Foto: DCS/Saae

Esta semana um grupo de arqueólogos da VEC Engenharia e Gestão Ltda, iniciaram a coleta de amostras na área que será alagada pela futura barragem do Pirai, a pedido do Consórcio Intermunicipal do Ribeirão Pirai (CONIRP), que constituído por quatro municípios Indaiatuba, Itu, Salto e Cabreúva. O trabalho faz parte do processo de licenciamento para o futuro início das obras.

Os arqueólogos farão o trabalho de registro e análise desta região, para determinar fatos de relevância histórica que possam ter ocorrido, e determinar o grau de interferência da obra, para que sua execução ocorra com o menor impacto possível. Este é apenas um dos cuidados tomados, já está em andamento todo o processo de desapropriação e em breve terão início a catalogação e manejo da fauna e flora local.

“Está é uma obra de grande importância para a região, pois irá ampliar a captação de água dos municípios integrantes do consórcio” explica o prefeito de Indaiatuba e presidente do CONIRPI, Nilson Gaspar.

Desde que assumiu a presidência do consórcio, o prefeito de Indaiatuba, Nilson Gaspar, vem viabilizando os estudos que garantem as licenças ambientais, exigidos pela Cetesb para permitir o início das obras, com meta para este ano. Muito disso, se deve ao apoio da equipe do Saae de Indaiatuba, que possui um grande conhecimento técnico e contribui com os projetos, gerando economias para o consórcio aplicar a verba disponível.

“Para nós do Saae, apoiar o CONIRP é muito importante, pois a barragem do Pirai garantirá o crescimento de nossa região”, afirma o superintendente do Saae, engº Sandro Coral.

BARRAGEM

A barragem do Ribeirão Piraí será construída na divisa dos municípios de Itu e Salto. Terá 386 metros de comprimento, 15 metros de altura, espelho d´água de 1,3 km² e capacidade para armazenar 9 bilhões de litros de água.

A área total a ser desapropriada é de mais de 2,97 km². A obra garantirá a ampliação do volume de captação dos municípios de Indaiatuba, Salto e Itu.


Notícias relacionadas