Notícias

Fundação Pró-Memória divulga atrações da Semana Nabor Pires de Camargo

  • Publicação: 07/04/2011 10:36h
  • Redator(es): Darlene Ribeiro
  • Release N.º: 606

Foto

Foto: Eliandro Figueira ACS/PMI

A Prefeitura de Indaiatuba, por meio da Fundação Pró-Memória, promove de 12 a 15 de abril a 15ª Semana Nabor Pires de Camargo. A abertura do evento contará com show do grupo de choro Moacyr Martins às 20h no Casarão Cultural Pau Preto, na rua Pedro Gonçalves, 477 Jardim Pau Preto. A programação conta ainda com duas apresentações de grupos de choro da região na Praça Prudente de Moraes.

O 10º Prêmio Nabor Pires de Camargo, que encerra as atividades da semana, ocorrerá dia 15 de abril no Instituto Deco20, situado à Rua Pedro Virilo, 310, Jardim Santiago. Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (6) o presidente da Fundação Pró-Memória, Antonio Reginaldo Geiss, disse que “nossa intenção é difundir a obra do excelente clarinetista que foi Nabor Pires de Camargo por meio do prêmio, que é talvez o mais importante concurso instrumental do Brasil”, destacou.

Após a audição dos dez músicos selecionados e da premiação dos melhores colocados, a noite será encerrada com o grupo ‘Isaías e seus chorões’, um dos mais renomados grupos de choro do país que terá como convidados Pernambuco do Pandeiro e Derico. O Prêmio Nabor Pires de Camargo já recebeu outros grandes nomes da música instrumental brasileira como o clarinetista e saxofonista Paulo Moura, o acordeonista Renato Borghetti e o pianista Laércio de Freitas.

O número de participantes do prêmio vem aumentando gradativamente e em 2011 chegou a 54 inscritos. Em 2010 os candidatos somaram 33 e em 2009 foram 43 inscritos. Segundo o superintendente da fundação, Marcelo Alves Cerdan, esse fato demonstra que o concurso está ganhando destaque no meio musical. Confira a programação completa:

Programação da 15ª Semana Nabor Pires de Camargo

12/04 (Terça-feira) – Show com grupo de choro Moacyr Martins

Casarão Cultural Pau Preto – 20h

13/04 (Quarta-feira) – Show com grupo Choro Bandido

Coreto da Praça Prudente de Moraes – 17h30

14/04 (Quinta-feira) – Show com grupo Corta Jaca (chorinho)

Coreto da Praça Prudente de Moraes – 17h30

15/04 (Sexta-feira) - 10° Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista

Instituto Deco20 – 19h

A noite será encerrada pelo grupo Izaias e seus Chorões convidam: Derico, Pernambuco do Pandeiro e outros.

12/04 a 30/06 – Exposição ‘Cahindo das Nuvens’ no Museu Casarão Pau Preto

Traz fotografias e documentos que remetem a vida artística de Nabor Pires de Camargo, como partituras e métodos da clarineta. O material foi doado pela viúva do músico ao Arquivo Público Municipal.

Triagem

Ao todo a Fundação Pró-Memória recebeu 54 inscrições para o 10º Prêmio Nabor Pires de Camargo - Instrumentista, o maior número registrado desde a primeira edição do evento. São 34 participantes do Estado de São Paulo, oito de Minas Gerais, dois do Rio Grande do Sul e dois do Rio de Janeiro. Os Estados de Santa Catarina, Bahia, Espírito Santo, Distrito Federal e Goiás registraram um inscrito cada.

A triagem para a seleção dos dez músicos que concorrerão ao prêmio e participarão da audição pública, marcada para o dia 15 de abril, foi realizada nos dias 01 e 02 de abril. Confira os selecionados:

Músico / Instrumento / Cidade

1 – Agnaldo Dias Luz Filho – Bandolim – São Paulo

2 – Reinaldo Willams Silva dos Anjos – Clarineta – Campinas SP

3 – João Paulo Gonçalves – Guitarra/Violão – São Paulo

4 – Reinaldo Sousa Lima – Clarineta/Sax Tenor – Nova Odessa SP

5 – Pablo Dias – Cavaquinho – Belo Horizonte MG

6 – Bruno Moritz Neto – Acordeom – Brusque SC

7 – Rafael da Silva Barros – Cavaco – Piracicaba SP

8 – Rafael Thomaz – Violão – Campinas SP

9 – Matteo Ricciardi – Clarinete – Belo Horizonte

10 – Márcio Modesto – Flauta Transversal – São Paulo

Cada candidato enviou duas músicas (uma do clarinetista Nabor Pires de Camargo e outra de livre escolha) por meio das quais os jurados, Antonio da Cunha Penna, José Júlio Stateri e Valgério Adriani Gianotto, avaliaram quesitos como habilidade técnica, fraseado, qualidade sonora e interpretação.

Antonio da Cunha Penna é fotógrafo, escritor, estudioso e conhecedor de música.

O paulistano José Júlio Stateri, residente em Indaiatuba, é mestre e doutor em Arte-Educação (FESP-USP). Possui licenciatura plena em Música, bacharelado em Piano, dentre outras habilitações para o magistério. É professor de piano e disciplinas teóricas há mais de 35 anos e dedica-se a pesquisa na área de metodologia de ensino, particularmente na área de música.

Valgério Adriani Gianotto estudou no Conservatório Dramático de Tatuí e na Escola Municipal de Música de São Paulo. Trabalhou como contra baixista nas Orquestras Sinfônicas de Santo André, Indaiatuba, Sorocaba e em outras formações sinfônicas, grupos e gravações. É sócio fundador da Orquestra de Câmara de Indaiatuba e atualmente é professor de contrabaixo da Escola Helvétia, membro do "Schnaps Muisig" (música folclórica suíça) e participa da Sinfonieta dos devotos de Nossa Senhora dos Prazeres, no Projeto Mestres Mulatos, patrocinado pela Petrobrás.

10º Prêmio Nabor Pires de Camargo

O 10º Prêmio Nabor Pires de Camargo, que encerrará a programação da 15ª Semana Nabor Pires de Camargo, será realizado no Instituto Deco20 (Rua Pedro Virillo, 310 – Jd. Santiago) dia 15 de abril a partir das 19h. O 1º colocado receberá prêmio em dinheiro no valor de R$ 6.000,00; o 2º colocado, R$4.000,00; o 3º colocado, R$3.000,00; o 4ºcolocado: R$2.000,00. Ainda há premiação para o destaque individual, no valor de R$1.000,00. Após a premiação, a noite será encerrada com ‘Izaías e seus Chorões’ que terão convidados como Derico e Pernambuco do Pandeiro.

Um dos mais tradicionais grupos de choro do Brasil, ‘Izaías e seus Chorões’ foi criado em São Paulo na década de 70 pelo bandolinista Izaías Bueno de Almeida e seu irmão, o violonista Israel 7 Cordas. Outros integrantes são: Edmilson Capelupi (violão de 6 cordas), Haroldo Capelupi (cavaquinho) e José Reli (pandeiro). O grupo já realizou apresentações na Europa e América do Sul, além de inúmeros shows pelo Brasil. Também participu de diversos programas sobre choro na TV Cultura de São Paulo. Izaías e seus Chorões gravaram vários CDs e participaram de trabalhos de artistas como Paulinho da Viola e Altamiro Carrilho.

Morador de Brasília, ‘Pernambuco do Pandeiro’ teve seus tempos de glória na era de ouro do rádio, quando acompanhou artistas como Francisco Alves, Ângela Maria e Nelson Gonçalves. O pandeirista se tornou um dos pilares do Clube do Choro de Brasília nos primeiros anos de funcionamento (final da década de 60).

O saxofonista e flautista Derico Sciotti, além de fazer parte do sexteto do Programa do Jô, transmitido pela Rede Globo, gravou oito CDs e é autor de três livros. Atua como solista de orquestra, com a Orquestra de Câmara OPUS de Belo Horizonte e com a Orquestra Filarmônica Bachiana Jovem de São Paulo. Derico ainda ministra palestras e “workshops” sobre instrumentos musicais (flauta e saxofone) e a profissionalização e mercado de trabalho para o músico brasileiro.

A comissão julgadora do ‘10º Prêmio Nabor Pires de Camargo’ será composta pelos seguintes membros:

João Tomás do Amaral, produtor e apresentador do Programa Chorinho Brasil na Rede Boa Nova de rádio e professor universitário formado em matemática e engenharia civil. É articulista do Jornal Tribuna Paulista - Coluna "Brasil Musical - Vivendo o Choro", autor de livros, encartes de CDs e tem vários artigos científicos publicados em revistas nacionais e internacionais. Apresentou vários shows na Rede Sesc.

Mário Albanese é titular catedrático da Academia Internacional de música, membro da Ordem Internacional de Jornalistas, da Associação Brasileira de Folclore, da Ordem Nacional dos Escritores, da Academia Metropolitana de Letras Artes e Ciências e do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Em 1965 lançou com Ciro Pereira o ‘Jequibau’, um novo ritmo musical brasileiro que foi vencedor de concursos internacionais e festejado pela critica nacional e internacional. O ‘Jequibau’, com seus cinco tempos nativos e originais, já percorreu os quatro cantos do mundo na interpretação de renomados artistas brasileiros e internacionais.

Francisco Araújo teve o pai como primeiro professor de violão, mas a técnica foi aprimorada com o mestre violonista José Alves da Silva, conhecido no meio artístico como Aimoré. Graduou-se como professor de violão no Conservatório Musical de São Caetano do Sul, em seguida estudou harmonia tradicional com Osvaldo Lacerda, harmonia funcional com Marilena de Oliveira e J. Zula de Oliveira e composição com Guido Santórsóla e J.J.koelheuter. Ministrou aulas no Conservatório Carlos de Campos, em Tatuí. Possui tres CDs gravados e compôs mais de 400 obras para violão, algumas delas fizeram parte de vinhetas e trilhas sonoras para o programa Globo Rural, apresentado pela Rede Globo.

João Alves da Silva (Bonfim) é violonista e professor formado pelo Conservatório Musical Heitor Villa Lobos. Com um repertório que inclui músicas clássicas, populares e folclóricas, Bonfim agrada as mais exigentes platéias. Atua constantemente com os maiores nomes da música popular brasileira, portuguesa e italiana, sem jamais perder sua marcante personalidade como solista. Com sua visão inovadora, juntamente com Silvio Santisteban, é um fiel propagador do ‘Jequibau’, criado por Mário Albanese e Ciro Pereira. Bonfim forma com o conhecido humorista Ary Toledo, dupla de violão e bandolim, em shows no teatro e também na televisão. Venceu o 1º Festival Brasileiro de Jovens, promovido pela Rádio 9 de julho e pela TV Globo na categoria de violão solo.

Silvio Santisteban iniciou seus estudos de violão aos 7 anos e desde cedo apresentou-se em diversos programas infantis até ser contratado pela TV Record para participar de programas como “O Fino da Bossa”, com Elis Regina e ‘Bossaudade’, com Elizeth Cardoso. Foi o primeiro violonista no mundo a gravar o ‘Jequibau’, ritmo criado por Mário Albanese e Ciro Pereira e do qual é até hoje um divulgador juntamente com o violonista Bonfim. Apresentou-se em diversos programas de rádio e televisão. Fez o 1º curso de violão em vídeo no Brasil, trabalho patrocinado pela Di Giorgio. Foi professor catedrático da Faculdade de Música Santa Marcelina, na cadeira de violão e criou o seu próprio método de ensino.


Fotos


Notícias relacionadas