Notícias

Saúde lança campanha de controle da dengue para se preparar para o verão

  • Publicação: 21/10/2014 18:20h
  • Redator(es): Sirlene Virgílio Bueno
  • Release N.º: 1499

Foto

Foto: Arquivo - Deuzeni Ceppolini - SCS/PMI

A equipe de Controle da Dengue ligada ao Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde trabalha desde julho no planejamento das atividades de prevenção e controle do Aedes aegypti que se estenderão até julho de 2015. Os serviços também focam o vírus Chikungunya que já chegou ao Brasil, e que também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

O trabalho da Saúde se baseia no acompanhamento sistemático da situação epidemiológica do município e da RMC (Região Metropolitana de Campinas) de 2013/2014. A Secretaria desenvolverá projetos próprios, além de intensificar os trabalhos existentes das atividades técnicas preconizadas no Manual de Controle do Aedes aegypti do Estado de São Paulo, em áreas prioritárias nas atividades de eliminação dos criadouros e educação continuada. Para isso haverá divulgação nos meios de comunicação com o envolvimento da sociedade, elaboração de materiais educativos diferenciados e abordagem da população nas áreas e seguimentos comerciais de maior movimento no município.

O período de maior intensidade biológica do Aedes é entre outubro e abril, épocas de chuva e oferta de criadouros, sendo que o período dos casos confirmados da dengue permanece entre janeiro e julho, com maior pico entre abril e maio.

A mobilização social aliada a trabalhos focados no tratamento correto do paciente e eliminação dos potenciais criadouros possibilitará a diminuição significativa dos casos da doença e, cosequentemente, evitará óbitos.

CHIKUNGUNYA

O Departamento de Vigilância Epidemiológica está em estado de alerta considerando a preocupação da introdução do vírus Chikungunya no Brasil, onde já foram registrados 337 casos da doença até outubro.

A Chikungunya é causada por um vírus do gênero Alphavirus, transmitida também pelos mosquitos do gênero Aedes, como o Aedes Aegypti e o Aedes Albopictus, também transmissores da dengue.

Vários países das Américas têm registrado surtos neste ano, tendo sido notificados 651.344 casos suspeitos e 9.182 confirmados em laboratório. Entre os países estão Anguilla, Antígua e Barbuda, Aruba, Bahamas, Barbados, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Cayman, Costa Rica, Dominica, República Dominicana, El Salvador, Guiana Francesa, Granada, Guadalupe, Guiana, Haiti, Martinica, Panamá, Porto Rico, São Bartolomeu, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Martin, São Vicente e Granadinas, São Maarten, Suriname, Trinidad e Tobago, Ilhas Turcas e Caicos, Estados Unidos, Ilhas Virgens Americanas e Venezuela.

O tratamento da doença consiste no alívio dos sintomas, que são semelhantes aos da dengue, como febre alta, dor muscular e nas articulações, cefaleia e exantema, e que costumam durar de três a 10 dias. A terapia utilizada é composta de analgésicos (paracetamol), hidratação e repouso, entretanto. Segundo a equipe da Saúde, a letalidade é rara e menos frequente do que a registrada nos casos de dengue.

INVESTIMENTOS

O secretário de Saúde, José Roberto Stefani, se empenhou na programação e planejamento de prevenção da doença e adquiriu cinco novos veículos para serviços de fiscalização, dois furgões e três de passeio que receberão adesivos de prevenção e identificação, transformando-os também em veículos de informação volantes. Foram adquiridos aparelhos de rádios comunicadores, uniformes completos e estoque de materiais de trabalho diário, telas mosquiteiras para caixas d’água e cloro granulado a 65% para tratamento de criadouros com larvas. Através da Secretaria de Governo será intensificada o Marketing da Campanha Municipal.

O prefeito Reinaldo Nogueira, preocupado com o avanço da doença na região, autorizou a contratação de mais 10 Agentes Comunitários de Saúde para a Equipe de Controle da Dengue para atuação das atividades de prevenção.

Também estão programados seis novos projetos próprios. As ações previstas ocorrerão de acordo com o cronograma do planejamento de Mobilização Social e informes técnicos abordando vários segmentos da sociedade públicos e privados, incluindo serviços de saúde particulares, comércios, entidades, feiras livres, escolas e associações.

SELO DE SAÚDE

Está previsto para novembro a implantação do Selo de Saúde, que reconhece um ambiente saudável para os imóveis considerados de grande permanência e circulação de pessoas com eliminação dos riscos de proliferação dos mosquitos Aedes aegypti transmissor da dengue. Portanto, os selos serão oferecidos aos imóveis de empresas comerciais, industriais e outros prestadores de serviços, unidades educacionais (Estaduais, Municipais, Particulares, Faculdades e Creches), Unidades de Saúde, Consultórios e Clínicas Médicas particulares, Hospitais e Imóveis públicos de qualquer natureza.

O reconhecimento do Selo pela Prefeitura Municipal de Indaiatuba, através da Secretaria de Saúde, dá maior ênfase, credibilidade e comprometimento para que ocorram ações de forma responsável e contínua, transformando estes seguimentos da sociedade em modelo de gestão na qualidade de saúde.

Os agendamentos das vistorias para a contemplação do selo serão através do e-mail saude.combateadengue@indaiatuba.sp.gov.br, telefone 3834-9297 ou 0800-770-770-2, também na própria recepção do Depto de Vigilância em Saúde localizado na Prefeitura, na Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 2800, Jd Esplanada II.

A Saúde também está disponibilizando o e-mail saude.combateadengue01@indaiatuba.sp.gov.br para solicitações de palestras e participação em eventos. Toda a programação do planejamento no combate à dengue será disponibilizado no site oficial da Prefeitura.


Notícias relacionadas