Notícias

Estelionatário é detido pela Guarda Civil após tentar vender imóvel no Pq. Campo Bonito

  • Publicação: 14/05/2015 17:06h
  • Redator(es): Gil Nunes
  • Release N.º: 566

Foto

Foto: Arquivo - Gil Nunes SCS/PMI

A Guarda Civil conduziu na terça-feira (12) até a Delegacia de Polícia C.A.R., 22, que estava tentando vender um imóvel no Parque Campo Bonito. Segundo a vítima, o indiciado por estelionato informou ter influência na Secretaria de Habitação da Prefeitura e que facilitaria a compra de um apartamento ou casa no referido empreendimento caso fosse feito um depósito de uma valor em uma conta corrente indicada por ele. A vítima acionou a Guarda Civil que conduziu as partes até a Delegacia de Polícia, onde foi registrado o Boletim de Ocorrência. O elemento foi autuado e liberado.

ALERTA

A Secretaria de Habitação alerta que ninguém está autorizado a receber dinheiro em espécie, cheque ou depósito em conta corrente em troca de facilitação para obtenção de apartamentos ou casas no Parque Campo Bonito. Caso isso ocorre a vítima deve ligar imediatamente para 153, 190 ou ir diretamente a Delegacia de Polícia e denunciar o crime.

PARQUE CAMPO BONITO

O projeto habitacional foi lançado em outubro de 2013. O local com área de 646.516,49 mil metros quadrados terá 2.048 apartamentos populares da faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida; 800 casas da faixa 2 do PMCMV e 462 lotes mistos (comercial e residencial) na segunda etapa.

Lembrando que os apartamentos são direcionados para famílias já cadastradas na Secretaria de Habitação da Prefeitura com renda até R$ 1.600,00. O valor total é de R$ 96.000,00 por unidade; os quais serão R$ 76.000,00 subsidiados pelo Ministério das Cidades e R$ 20.000,00 pelo programa Casa Paulista do Governo do Estado de São Paulo.

Os beneficiados pagarão o correspondente a 5% do seu rendimento ao mês no período de 10 anos, com parcela no mínimo de R$ 25 e máxima de R$ 80.

Os imóveis terão dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, sendo 51,41 metros quadrados de área privativa mais uma vaga de garagem. Todas as unidades serão adaptáveis e entregues com piso cerâmico. Os apartamentos serão divididos em oito condomínios com portaria, centro de convivência e lixeira sendo 120 blocos com térreo mais três andares e 48 vagas para visitantes. Atendendo às exigências de qualidade do PMCMV, o loteamento possuirá infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e disponibilidade de acesso ao transporte público.

As casas são destinadas para famílias também já cadastradas na Prefeitura com renda entre três e seis salários mínimos. O valor inicial será de R$ 120.000,00, sendo R$ 24.000,00 subsidiados pela Caixa Econômica Federal e o restante R$ 96.000,00 financiado pela mesma. Os proprietários terão até 35 anos para pagar.

Como contrapartida a Prefeitura irá investir em obras de infraestrutura no empreendimento. Será construída uma Emeb (Escola Municipal de Ensino Básico), uma Creche, recursos correspondentes a 6% do empreendimento dos apartamentos; uma UBS (Unidade Básica de Saúde) e um Centro Comunitário, em que o Executivo Municipal deverá solicitar verbas para a construção. A próxima etapa é a assinatura do projeto e o alinhamento das diretrizes para posteriormente dar início às obras que serão executadas pela construtora HM Engenharia.

A área é de propriedade da HM Engenharia e Construções S.A, do grupo da Construtora Camargo e Correia, que firmou parceria com os entes envolvidos para a realização do empreendimento. O projeto desenvolvido por Indaiatuba será usado pelo Ministério das Cidades e pela CEF como modelo padrão a ser aplicado no Brasil.


Notícias relacionadas