Notícias

Guarda Civil prende em média um bandido a cada 36 horas

  • Publicação: 05/11/2015 14:00h
  • Redator(es): Gil Nunes
  • Release N.º: 1454

Foto

Foto: Giuliano Miranda – 05/08/15 – SCS-PMI

Nos dez meses de 2015 a Guarda Civil de Indaiatuba prendeu 201 pessoas em flagrante por diversos delitos, sendo que deste total 26 são menores e foram apreendidos. No mesmo período do ano passado foram 189 detenções. Deste total 69 foram referentes ao tráfico de drogas. Essas ações geraram, em 2015, a retirada da rua de 49 quilos de entorpecentes. Em 2014, no mesmo período, foram 17,8 quilos. Em 2015 houve a recuperação de 116 veículos e realizadas 1.406 operações saturação, que é o patrulhamento de mais de duas ou mais viaturas em um perímetro previamente estabelecido após estudo criminal do local. Em 2014, 88 veículos foram recuperados e executadas 1.158 saturações. Ainda em 2015, nos oito primeiros meses foram abordadas 410 pessoas em atitude suspeita e 113 veículos. Já em 2014 os números foram de 255 e 105, respectivamente. “Sempre lembramos que esses números referentes a drogas não representam que Indaiatuba está tendo mais movimentação criminosa, mas sim uma ação coordenada das forças policiais que resulta em maior número de apreensão de drogas e presos em flagrante e posteriormente com o trabalho da Polícia Civil a condenação dos envolvidos assim diminuindo a sensação de impunidade”, comenta o secretário de Segurança Pública, Alexandre Guedes Pinto.

PROGRAMA VIVER

Lembrando que o prefeito Reinaldo Nogueira (PMDB) lançou em 2014 o Programa Viver. Que consiste em um trabalho multidisciplinar é ao mesmo tempo simples, inovador e de grande eficácia, que organiza as iniciativas existentes na comunidade. As ações deixam de ser isoladas. Para toda essa coordenação foi criada a Central de Risco, composta por funcionários qualificados e um software de última geração. Assim que recebe a indicação de uma pessoa vulnerável, ela envia uma equipe treinada do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) para referenciar e acolher a família.

Com todos os dados em mãos, os profissionais traçam um Plano de Atendimento específico levando em conta o local da residência e projetos existentes no banco de dados. Essa pessoa é convidada a participar desse Plano. Mensalmente ela é acompanhada para avaliação, revisão e alterações no programa, até seu desligamento ou necessidade de outras intervenções.

O Programa Viver foi estruturado sobre cinco premissas básicas: proteger crianças e adolescentes que não estão envolvidos com as drogas; recuperar os iniciantes, que devem ser reintegrados à vida produtiva e saudável; trabalhar a drogatização considerando a necessidade de recuperar dependentes químicos como missão da sociedade; combater com ações permanentes e enérgicas o traficante e o fornecedor de entorpecentes. O sucesso do programa está diretamente vinculado à participação de toda a sociedade.

A Central de Risco já pode ser acionada pelo número 3875-6600. O horário de funcionamento é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.


Notícias relacionadas