Notícias

35% das prisões da Guarda Civil em 2015 são de traficantes

  • Publicação: 03/12/2015 14:58h
  • Redator(es): Gil Nunes
  • Release N.º: 1601

Foto

Foto: Giuliano Miranda - SCS/PMI

De janeiro a novembro deste ano 35% das prisões efetuadas pela Guarda Civil foram referentes ao envolvimento com entorpecentes. Ao longo dos 11 meses de 2015 foram 223, sendo que 78 foram recolhidos tendo como motivação drogas. Do total nove são menores de idade. No período a corporação tirou das ruas 51 quilos de entorpecentes. Em 2015 houve a recuperação de 136 veículos e realizadas 1.477 operações saturação, que é o patrulhamento de mais de duas ou mais viaturas em um perímetro previamente estabelecido após estudo criminal do local. Em 2014, 99 veículos foram recuperados e executadas 1.305 saturações. Ainda em 2015, nos 11 meses foram abordadas 438 pessoas em atitude suspeita e 121 veículos. Já em 2014 os números foram de 272 e 111, respectivamente. “Ressaltamos sempre que esses números referentes a drogas não representam que Indaiatuba está tendo mais movimentação criminosa, mas sim uma ação coordenada das forças policiais que resulta em maior número de apreensão de drogas e presos em flagrante e posteriormente com o trabalho da Polícia Civil a condenação dos envolvidos assim diminuindo a sensação de impunidade”, comenta o secretário de Segurança Pública, Alexandre Guedes Pinto.

PROGRAMA VIVER

Lembrando que o prefeito Reinaldo Nogueira (PMDB) lançou em 2014 o Programa Viver. Que consiste em um trabalho multidisciplinar é ao mesmo tempo simples, inovador e de grande eficácia, que organiza as iniciativas existentes na comunidade. As ações deixam de ser isoladas. Para toda essa coordenação foi criada a Central de Risco, composta por funcionários qualificados e um software de última geração. Assim que recebe a indicação de uma pessoa vulnerável, ela envia uma equipe treinada do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) para referenciar e acolher a família.

Com todos os dados em mãos, os profissionais traçam um Plano de Atendimento específico levando em conta o local da residência e projetos existentes no banco de dados. Essa pessoa é convidada a participar desse Plano. Mensalmente ela é acompanhada para avaliação, revisão e alterações no programa, até seu desligamento ou necessidade de outras intervenções.

O Programa Viver foi estruturado sobre cinco premissas básicas: proteger crianças e adolescentes que não estão envolvidos com as drogas; recuperar os iniciantes, que devem ser reintegrados à vida produtiva e saudável; trabalhar a drogatização considerando a necessidade de recuperar dependentes químicos como missão da sociedade; combater com ações permanentes e enérgicas o traficante e o fornecedor de entorpecentes. O sucesso do programa está diretamente vinculado à participação de toda a sociedade.

A Central de Risco já pode ser acionada pelo número 3875-6600. O horário de funcionamento é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.


Notícias relacionadas