Notícias

Equipe da dengue realizam coleta de larvas para estudo

  • Publicação: 11/01/2016 15:23h
  • Redator(es): Deuzeni Ceppolini
  • Release N.º: 22

Foto

Foto: Deuzeni Ceppolini SCS/PMI

A Prefeitura de Indaiatuba, por meio do Programa de Controle da Dengue da Secretaria de Saúde, informa que os agentes de Controle da Dengue estão realizando trabalhos educativos em várias áreas da cidade. Até o dia 20 de janeiro, os agentes visitarão imóveis residenciais e comerciais para coletar larvas do mosquito transmissor da dengue o Aedes aegypti e fazer o ADL (Avaliação de Densidade Larvária) do município.

O médico veterinário e coordenador do Programa de Controle da Dengue, Odenir Sanssão Pivetta, explicou que os agentes também orientam os moradores sobre os perigos da doença, se há pessoas com sintomas e como evitá-la. “Serão visitados 3 mil imóveis, que terão larvas coletadas para a avaliação. O sistema faz o sorteio das quadras e residências a serem avaliadas.

O município é dividido em setores e alguns serão visitados para fazer esta avaliação”.

Pivetta informou que quando terminar os trabalhos, os técnicos do programa farão um estudo e informará como por exemplo onde há mais infestação, quais áreas tem criadouros; tipos de criadouros; e se podem ser removidos ou tratados. “Os dados, servirão para traçar novas estratégias para atuar no combate do mosquito e assim evitar o aparecimento da doença”.

O assessor do Programa de Controle da Dengue Ulisses Bernardinetti explicou que além destas ações, os agentes realizam várias atividades o ano inteiro. “Nosso trabalho é orientar e educar, queremos mudança de hábitos e sempre pedimos para o morador fazer a sua parte e que vistorie seu imóvel por 10 minutos uma vez por semana e não deixe água parada”.

Em 2015, Indaiatuba teve 1682 casos autóctones de Dengue em 2015, um óbito, 32 casos importados, totalizando 1715 casos. Os meses com mais casos foram: março com 546 casos autóctones, abril com 563 casos e maio com 421 casos. Em 2016 não há casos confirmados.

O mosquito Aedes aegypti transmissor da dengue, também é responsável pela febre Chikungunya, Zika vírus e a Febre Amarela Urbana.

Os vírus da dengue, Chikungunya e Zika são transmitidos pelo mesmo vetor, o Aedes aegypti, e levam a sintomas parecidos, como febre e dores musculares. Mas as doenças têm gravidades diferentes, sendo a dengue a mais perigosa.

A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina, dores musculares, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.

A Febre Chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras.

Os sintomas do Zika vírus, surgem normalmente 10 dias após a picada de um mosquito e que, inicialmente, incluem febre acima de 38ºC e manchas vermelhas na pele do rosto, mas que, após algumas horas, podem ser acompanhados de: Dor de cabeça constante; Manchas vermelhas em outros locais do corpo, como braços, abdômen e pernas; Vermelhidão e hipersensibilidade nos olhos; Dor nas articulações, especialmente nas mãos e pés; Dor nos músculos; Cansaço excessivo; Dor na barriga e náuseas; Diarreia ou prisão de ventre.

Normalmente, estes sinais duram apenas sete dias e podem ser confundidos com os sintomas da dengue, sendo, por isso, importante ir ao pronto-socorro quando surgem mais que dois dos sintomas para ser visto por um médico para diagnosticar o problema, iniciando o tratamento adequado.


Notícias relacionadas

Como podemos te ajudar?