Notícias

Corporação Musical Villa Lobos se apresenta gratuitamente no Ciaei

  • Publicação: 29/08/2017 14:37h
  • Redator(es): Renata Lippi A. Lemuchi
  • Release N.º: 752

Foto

Foto: Eliandro Figueira – RIC/PMI

A Corporação Musical Villa Lobos, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura, traz para a população o espetáculo “Um Toque de Clássicos 3” no sábado (2) a partir das 20h, na Sala Acrísio de Camargo, no Ciaei. Com regência de Samuel Nascimento de Lima e acompanhamento de 45 músicos a Corporação apresenta um repertório que privilegia compositores clássicos, como Joahn Sebastian Bach, e autores contemporâneos, como Leonard Bernstein. Para este concerto, a entrada é gratuita. Informações (19) 3894-1867.

A Corporação Musical Villa-Lobos é um tradicional agrupamento musical que vem experimentando, nos últimos anos, uma progressiva melhoria técnica com o aprimoramento que confere à Corporação um status de orquestra de sopros e, por isso, vem sendo anunciada como Banda Sinfônica Villa-Lobos.

O Repertório

Para a terceira edição de Um Toque de Clássicos, o maestro Samuel Nascimento de Lima ensaiou o seguinte repertório:

- Abertura de Os Mestres Cantores de Nuremberg- Ópera de Richard Wagner que teve sua primeira apresentação em 1868. Essa é uma das óperas mais populares de seu repertório e uma das mais interpretadas atualmente, usualmente durando quatro horas e meia (quando encenada por completo!).

-Jazz Suite Nº 2 – De Dmitri Shostakovich. Está quase valsa foi composta em 1938 para a State Jazz Orchestra, de Victor Knushevitsky e estreada a 28 de Novembro de 1938 na rádio de Moscou. O original perdeu-se durante a Segunda Guerra Mundial, mas a versão de piano foi redescoberta em 1999 por Manashir Yakubov. Os três movimentos da suíte foram posteriormente reconstruídos e orquestrados, por Gerard McBurney, no ano 2000.

-Rondó Festivo- de Joseph Compello. Joseph Campello foi professor de música no Conservatório Peabody e naTawson University, na Pensilvânia. Suas composições sempre se dirigiam a seus estudantes, mas nem por isso são conhecidas por sua didática e sim pela sua expressividade enquanto música para grupos de instrumentos de sopro. Atualmente, Compello não dá mais aulas e continua compondo, fazendo música da melhor qualidade.

-Blue Rondó a La Turk- de Dave Brubeck. Aparentemente, esta peça gravada originalmente pelo The Dave Brubeck Quartet, não se encaixa num concerto de música clássica, mas a intenção deste Um Toque de Clássicos é a de mostrar ao público peças que são clássicos em seu gênero. E nada mais clássico do que está criação jazzística de Brubeck, pianista eternizado pela composição de Take Five.

-Contrapunctus IX - A Arte da Fuga – de Johann Sebastian Bach. Também identificada pela sigla BWV 1080, é uma peça inacabada de Bach. A composição da obra provavelmente se iniciou em 1742. A Arte da Fuga se situa entre os pontos mais altos a que chegou a música européia devido à complexidade única de sua forma e estrutura.

-Overture Jubiloso- de Frank William Erickson. Este compositor norte-americano é muito prestigiado entre os regentes de banda sinfônica por que escrevia arranjos que valorizavam o conjunto dos instrumentos. Frank era trompetista, arranjador, maestro e compositor e escreveu este Jubiloso em 1978.

- Marcha Húngara, de A Danação de Fausto- de Hector Berlioz. Apesar de ser pouco encenada, esta ópera que Berlioz chamava de “lenda dramática” é bastante encontrada em repertórios de bandas sinfônicas porque explora com muita dinâmica as possibilidades sonoras dos mais variados instrumentos de sopro. Sua estréia mundial aconteceu no teatro Opera Comique de Paris em dezembro de 1846.

-A Sétima Noite de Julho- de Itaru Sakai. No Japão, o dia 7 de julho é um feriado conhecido como tanabata, celebrado com muitas festividades pelo país inteiro. Esse feriado é inspirado pela lenda de um casal de apaixonados que, separados pela Via Láctea, só pode se encontrar uma vez ao ano. Esta composição pretende ser a interpretação musical dessa história romântica.

- Slava- A Political Overture- de Leonard Bernstein. Esta pequena peça orquestral foi composta para os concertos inaugurais de Mstislav Rostropovich à frente da Orquestra Sionfônica Nacional em 1977. Os amigos chamavam Rostropovich de Slava, um diminutivo de Mstislav. O nome Slava é gritado pelos músicos quase ao final e isso consta da partitura de Bernstein.

-Dança Festiva- Trecho da Ópera Fausto, de Charles Gounod. Este compositor francês é sempre lembrado por sua Ave Maria, mas sua ópera Fausto lhe deu grande notoriedade à época de sua estreia. Até hoje essa ópera é encenada nos grandes teatros do mundo. Esta peça que a Villa-Lobos vai apresentar traz a música de um balé que existe na trama musicada por Gounod.


Fotos


Notícias relacionadas

Como podemos te ajudar?