Notícias

Comissão de Erradicação do Trabalho Infantil apresenta trabalho em Fórum da RMC

  • Publicação: 17/08/2018 12:52h
  • Redator(es): Renata Lippi A. Lemuchi
  • Release N.º: 653

Foto

Foto: Divulgação

A Comissão Municipal do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), vinculada à Secretaria da Família e Bem Estar Social, por meio do Creas (Centro de Referência Especializado da Assistência Social), participou do Fórum Permanente de Erradicação do Trabalho Infantil na Região Metropolitana de Campinas. O evento aconteceu na segunda-feira (15), no auditório da Procuradoria Regional do Trabalho-15ª Região.

A equipe do Peti Indaiatuba foi convidada para falar do trabalho que é desenvolvido no município. “A apresentação foi um sucesso, soubemos que só Indaiatuba tem o Programa instituído e funcionando de acordo com o Redesenho do Peti. Tinham 14 cidades participando do evento. Falamos como conseguimos implantar a Comissão, sobre o trabalho de parceria com a Faculdade Max Planck, que oferece oficinas livres para os nossos atendidos. Também contamos da parceria efetivada com o MPT nas escolas e Peti, que acontece pelo quinto ano consecutivo, e por esta iniciativa, formarmos também a mesma parceria com as escolas estaduais. O trabalho desenvolvido foi muito elogiado pelo Dr. Paulo Crestana, Procurador do Trabalho e Titular Regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente”, conta Sandra Maria de Morais, diretora do Departamento de Proteção Social Especial.

“Fomos parabenizados pelas estratégias lúdicas utilizadas e pelos resultados.

Ficamos sabendo que é muito difícil um município ter apoio para efetivar as ações do Peti, devido à cultura da sociedade de que ‘melhor trabalhar do que ficar na rua’. Porém a didática aplicada ao desenvolvimento do programa e o apoio que recebemos da administração municipal, nos permitiu conscientizar a população, de que ‘melhor do que trabalhar e ficar na rua é estudar, brincar e se desenvolver’ e isso tem dado um resultado positivo de entendimento de todos os setores envolvidos de que lugar de criança é na escola”, finaliza Angela Castilho, Coordenadora da Comissão do Peti.


Notícias relacionadas