Notícias

Prisões em flagrante por violência doméstica é cinco vezes maior no primeiro semestre de 2019

  • Publicação: 17/07/2019 09:18h
  • Redator(es): Renata Lippi A. Lemuchi
  • Release N.º: 488

Foto

Foto: Eduardo Turati - GC

De acordo com os dados coletados e triados pelo Setor de Desenvolvimento e Estatística da Guarda Civil, no primeiro semestre de 2019, foram realizadas 30 prisões em flagrante por violência doméstica. Um número cinco vezes maior do que o registrado no mesmo período de 2018, quando foram efetivadas seis prisões pelo mesmo motivo. Neste ano, 109 mulheres pediram auxílio à Corporação e no mesmo período em 2018, foram 88 mulheres. Com estes dados foi registrado uma efetividade 75% maior entre os períodos, já que em 2019 foram 3,6 atendimentos para cada prisão em flagrante e em 2018 foi computado 14,1 atendimentos para cada prisão em flagrante.

Para o secretário interino de Segurança Pública, Sandro Bezerra Lima, o aumento das prisões em flagrante por violência doméstica é justificado por uma série de fatores. “Com a ampla divulgação da Lei Maria da Penha e com o apoio oferecido às vítimas pelo programa municipal “Caminho das Rosas”, as mulheres se sentem mais seguras e tendem a denunciar mais as agressões sofridas. A prisão em flagrante depende de uma série de circunstâncias analisadas pelo delegado que atende a ocorrência, como por exemplo, de como foi feita a agressão à vítima ou se houve risco de morte”, comenta Lima.

O número de pessoas presas em flagrante, de janeiro a junho de 2019 pela Guarda Civil, teve um aumento de 11,8% se comparado ao mesmo período de 2018. Já as pessoas recapturadas, que eram procurados da justiça, aumentou 4,8%, foram 22 recapturados em 2019, contra 21 em 2018.

O número de veículos localizados e recuperados pela Guarda Civil também fechou o semestre com um resultado positivo. Foram 45 veículos recuperados em 2019, contra 36 em 2018, o que representa um crescimento de 25%.

As operações de patrulhamento focado, ou seja, no qual a ronda é realizada em uma parte específica do setor, aumentou 19,3%. No patrulhamento de saturação, quando duas ou mais viaturas atendem um setor, o crescimento foi de 21,7%. Já as ligações atendidas no 153 foram contabilizadas 43.718 chamadas, contra 25.155 no mesmo período do ano passado.

“O trabalho do Setor de Desenvolvimento e Estatística da Guarda Civil é de extrema importância. Todos atendimentos realizados pela Guarda são registrados, mas para podermos usar estas informações, é necessário que a vítima realize um Boletim de Ocorrência na Delegacia Central. O pessoal da estatística transforma estes dados em planilhas que são utilizadas para traçar o plano de ação que a Corporação deve conduzir. Através destes relatórios é definido como o operacional da Guarda será distribuído. Desta maneira conseguimos saber que, neste momento, o setor x precisa de mais atenção que o setor y”, conclui Lima.

Atendimentos Guarda Civil

- Violência Doméstica

Mulheres atendidas:

2019: 109

2018: 88

Prisões em flagrante:

2019: 30

2018: 6

- Prisões em flagrante

2019: 170

2018: 152

- Pessoas recapturadas/procuradas pela justiça

2019: 22

2018: 21

- Veículos recuperados

2019: 45

2018: 36

- Patrulhamento focado

2019: 2.950

2018: 2.472

- Patrulhamento de saturação

2019: 545

2018: 448

- Ligações atendidas pelo 153

2019: 43.718

2018: 25.155


Notícias relacionadas