Notícias

Secretaria de Saúde confirma mais um caso de sarampo para Indaiatuba

  • Publicação: 13/08/2019 12:49h
  • Redator(es): Laís Fernandes
  • Release N.º: 557

Foto

Foto: Laís Fernandes RIC/PMI

O Secretaria Municipal de Saúde de Indaiatuba confirma nesta terça-feira (13) mais um caso positivo de sarampo na cidade. O Departamento de Vigilância Epidemiológica recebeu o resultado positivo do Instituto Adolfo Lutz, sendo classificado como autóctone. Este caso, trata-se de uma criança do sexo masculino de 3 anos de idade com duas doses da vacina Tríplice Viral, estuda em escola particular e é residente no Jardim Eldorado, não possui histórico de viagem. Os primeiros sintomas apareceram no final de junho. A criança foi curada e passa bem. Até o momento foram registradas 27 notificações para sarampo, sendo: 3 positivos; 23 em análise e 1 caso descartado.

Com o resultado positivo o Departamento de Atenção Básica já iniciou o bloqueio vacinal no bairro do paciente, ao redor da residência. Da mesma forma como foram os outros bloqueios a equipe de saúde percorre o bairro aplicando a vacina tríplice viral de forma seletiva, para aqueles que estão com a carteira de vacinação incompleta. De 6 meses a 29 anos são duas doses e de 30 a 59 anos apenas uma dose da vacina comprovada em carteira de vacinação.

HISTÓRICO

O primeiro caso é de um menino de 10 anos, residente no bairro Jardim Paulista II com duas doses da vacina tríplice viral, histórico de viagem recente para São Paulo capital e estudante da E.E Annunziatta Leonilda Virginelli Prado. O segundo caso é uma menina de 1 ano que não frequenta creche e não tem histórico de viagem, é residente no bairro Nova Veneza. A criança apresentou os sintomas em maio e foi atendida em unidade de saúde privada em Salto, a notificação chegou na segunda quinzena de junho por meio de laboratório particular.

INTENSIFICAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 6 A 11 MESES

Na terça-feira (13) Indaiatuba seguindo a orientação do Ministério da Saúde iniciou a vacinação contra o sarampo para crianças com 6 meses a menores de 1 ano que é chamada “dose zero”. Para tomar a vacina, basta procurar a unidade de saúde mais próxima da residência com a carteira de vacinação. A recomendação é que todas essas crianças, nesta faixa etária, sejam vacinadas. Além de proteger, a medida de segurança pretende interromper a cadeia de transmissão do vírus do sarampo no país. A Tríplice Viral, previne também contra rubéola e caxumba, deve ser evitada na vigência de febre.

A “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ª dose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente do planejamento de viagens para os locais com surto ativo do sarampo ou não.

COBERTURA VACINAL

A Secretaria de Saúde enfatiza a importância de manter a caderneta de vacina atualizada, o Ministério da Saúde estabelece a meta de 95% da cobertura vacinal da Tríplice viral. Em 2019 até a data atual, Indaiatuba atingiu 98,70% da vacinação em crianças de 1 ano. A falta de vacinação é a principal causa do retorno dos casos de sarampo, por isso a vacina é imprescindível para manter a saúde pública em dia. A vacina Tríplice Viral tem uma eficácia entre 85% e 95%.


Notícias relacionadas