Notícias

TJC encerra calendário de atividades em Indaiatuba

  • Publicação: 25/11/2019 16:42h
  • Redator(es): AMATRA XV
  • Release N.º: 835

Foto

Foto: Eliandro Figueira – RIC/PMI

No último dia 21, aconteceu, em Indaiatuba, o Encontro para Culminância do Programa “Trabalho, Justiça e Cidadania – TJC”. A atividade contou com cerca de 120 participantes entre pessoas do meio jurídico, autoridades do Município, Professores e alunos da Educação de Jovens e Adultos - EJA, de escolas públicas de Indaiatuba.

Na abertura do evento, houve uma breve apresentação do Programa que atendeu, este ano, duas escolas, capacitou 12 professores e alcançou 100 alunos. Cumprindo o protocolo, autoridades compuseram a mesa. Na sequência, foram convidados: o representante da Prefeitura de Indaiatuba, o Chefe de Gabinete, Fábio Conte; na sequência, a Diretora de Direitos Humanos e Cidadania da AMATRA XV e Coordenadora Regional do TJC, Juíza Lady Ane de Paula Santos Della Rocca; a Secretária de Educação de Indaiatuba, Rita de Cássia Trasferetti; a Professora Coordenadora Pedagógica da EMEB Profª Áurea Moreira da Costa, Patrícia Aparecida Barbieri; a Gestora da EMEB Prof. Leonel José Vitorino Ribeiro, Vânia Accioly Cahet e a Professora Orientadora Pedagógica da escola Leonel José Vitorino Ribeiro, Kelly Anísia Nogueira Lima.

Em seu discurso, a Secretária de Educação de Indaiatuba, Rita de Cássia Trasferetti, falou da importância do Projeto e agradeceu o apoio. “Temos certeza que o TJC ajuda a transmitir conhecimento e, é só através dele que teremos cidadãos mais éticos. Agradecemos a quem veio até as escolas para fazer as palestras. Foi muito importante optarmos para que o projeto fosse desenvolvido com os alunos da EJA. Obrigada por colocarem Indaiatuba nesta parceria”, disse.

A Juíza Lady Ane de Paula Santos Della Rocca, iniciou seu discurso agradecendo a forma em que o projeto foi acolhido na cidade e citou uma frase atribuída a um poeta português. “A morte do homem se inicia no instante em que ele desiste de aprender”, fazendo relação com os estudantes do Projeto, pois nele há uma grande troca de experiências. Na oportunidade, a Juíza ainda enfatizou que “conhecer seus direitos, poder lutar por eles e ter informação são formas de ter poder, e assim ser mais atuante e crítico”.

Ela também falou que, ingressou na nova gestão da AMATRA XV em abril deste ano e, “desde então, já me sinto muito envolvida e já considero o projeto como um ‘filho’. Para nós, juízes, ao ouvir as experiências de vida dos alunos e suas dúvidas é um grande aprendizado”, contou a Juíza.

No intuito de incentivar ainda mais os alunos, o Chefe de Gabinete da Prefeitura, Fábio Conte, disse que é preciso “pensar para frente e sempre em coisas boas e estudar é uma coisa boa que faz bem para nós. Não podemos deixar de aprender nunca, sempre temos que pensar em fazer o bem que isso volta para nós”.

Durante a programação as duas escolas participantes, e duas alunas foram homenageadas, com Placas e Certificados, respectivamente.

Dando continuidade à atividade, houve a leitura de textos coletivos. Segundo os alunos da Escola Prof.ª Áurea Moreira da Costa, com o Programa TJC, “tivemos a oportunidade de conhecer mais sobre os nossos direitos e um maior entendimento sobre as leis trabalhistas. Acreditamos que se tivéssemos tido essa oportunidade, de acesso a informação, não teríamos passado por tantas situações de prejuízo material e moral durante a vida", disse um trecho do texto lido por Ilidia Cardoso de Carvalho.

Para os alunos da Escola Professor Leonel José V. Ribeiro, “pode-se dizer que agora somos cidadãos mais conscientes dos nossos direitos e deveres, capazes de exigi-los nos termos da lei. Mas, fica o questionamento, será que todos esses direitos são respeitados? A Resposta é não! Assim sendo, termos que continuar adquirindo conhecimento para exigir seu cumprimento, conforme a lei”, leu Maria Geralda Dias do Nascimento.

Ambas as escolas, escolherem o formato de vídeo para mostrarem o empenho e resultados obtidos participando do projeto.

Após a apresentação das escolas, a Advogada, Mônica Celina Paschoal ministrou palestra a respeito da Erradicação do Trabalho Infantil. Na oportunidade, ela disse que o TJC vem de encontro com a necessidade de levar informação e fazer com que os alunos sejam protagonistas das mudanças que a sociedade tanto deseja. “Você percebe que as pessoas querem esse conhecimento. É lindo ver no rosto deles a satisfação que estão tendo ao receber um pouquinho mais de informação”, disse.

Depois da palestra, a AMATRA XV fez sorteio de dois vales livros, como forma de incentivar os alunos a buscarem mais conhecimento.

Para encerrar o Encontro, a Juíza Lady Ane de Paula Santos Della Rocca, citou um trecho da Bíblia, no qual a mensagem diz que há tempo para todas as coisas. "Há tempo para tudo, e os senhores, agora, estão tendo tempo de aprender, de compartilhar conhecimento e de serem agentes transformadores. Espero que no próximo ano, possamos ter mais visitas nas escolas, mais trabalhos e que possamos nos reunir, novamente, para comemorar esse aprendizado”, encerrou.

TJC em Indaiatuba

Este ano, em Indaiatuba, o Programa TJC alcançou duas escolas, 100 alunos, capacitou 20 professores e distribuiu 120 cartilhas.

Segundo a Professora Patrícia Aparecida Barbieri, da EMEB Profª Áurea Moreira da Costa, com as atividades desenvolvidas, os alunos se aproxima ainda mais de seus direitos. “Os alunos do EJA são adultos que não tiveram acesso à educação na idade adequada, então, muitos direitos eles não conheciam, principalmente na relação de tralho. Muitos trabalham na condição informal, portanto a vinda da Juíza, durante uma das etapas do Programa, trouxe para eles muito esclarecimento, fez com que eles tivessem outras condições e possibilidades na relação de trabalho, no dia-a-dia”, disse.

Para a Professora Orientadora da EMEB “Profª Áurea Moreira da Costa”, Walquiria Artuzo que acompanha o Projeto há 3 anos, a oportunidade dos alunos estarem perto do Judiciário é única. “Eles tiram muitas dúvidas quando a Juíza vai à escola, eles adoram. Lembro quando um aluno relatou que não sabia ler e escrever, e depois ele dizia ‘agora eu aprendi e posso ler sobre os meus direitos’. Esse projeto é maravilhoso e esperamos sempre poder contar com essa parceria”, falou.

Para a Professora Orientadora Pedagógica, da EMEB “Prof. Leonel José V. Ribeiro, Kelly Anísia Nogueira Lima, que também acompanha o TJC há 3 anos, com os alunos da EJA do 1º ao 5º ano, “o trabalho contribui para que os alunos tenham mais conhecimento das legislações trabalhistas, de questões de trabalho infantil e, em consequência, os ajuda a atuarem com mais cidadania na sociedade”.

De acordo com a aluna Edna Aparecida de Almeida, de 48 anos, com “esse projeto aprendemos muita coisa importante sobre as leis trabalhistas, nossos direitos, como nossos patrões tem que agir. Foi muito importante pra mim", disse.

A aluna Maria Geralda Dias do Nascimento, 43 anos, disse que estar, pela primeira vez, perto de um Juiz da Vara do Trabalho foi a coisa mais interessante do mundo, “porque é difícil ter essa conversa com um juiz num tribunal, imagine em uma sala de aula. Hoje, eu sei que havia muita coisa errada de minha parte e da parte de meus patrões”, relatou.

Acesse o nosso FLICKR para obter todas as fotos: https://flic.kr/s/aHsmJwT2SR


Notícias relacionadas

Como podemos te ajudar?