Primeiros Cuidados com o Bebê

LACTENTE DE 0 a 1 MÊS

ALIMENTAÇÃO: leite materno exclusivo, durante o dia não deixar mais de 4 horas sem oferecer o leite, ou seja, livre demanda, sem horários marcados, oferecendo quando o bebê necessitar (ele mama toda hora, e isso não significa que o “leite é fraco”, é uma característica normal para a idade). Não é necessário oferecer água, chá e sucos. Fórmulas de leite devem ser oferecidas somente por orientação do pediatra. Não permita que outra mulher amamente o bebê, ainda que seja da família e com saúde aparente. Evite o uso de bicos e chupeta.

COTO UMBILICAL: Álcool 70% a cada troca de fraldas, se estiver úmido intensificar o uso do álcool 70%. Não é necessário cobrir. Se ocorrer sangramento, secreção ou vermelhidão ao redor do coto, procurar o pediatra.

BANHO DE SOL: Antes das 9 horas da manhã ou após as 17 horas, durante 20 minutos (face e mãos expostas – começar com 1 minuto e aumentar 1 minuto por dia até 20 minutos) ou cinco minutos só de fralda, necessário devido a vitamina D, que é importante para o crescimento dos ossos e dentes. Os olhos devem estar protegidos, para evitar que o sol incida diretamente sobre eles. Não pode tomar sol através de vidraça porque não causa o efeito benéfico desejado.

ROUPA: Conforme a temperatura ambiente, a criança sente frio e calor também.

VACINAÇÃO: Verificar o calendário e orientação do pediatra que acompanha a criança. Hepatite B e BCG (contra tuberculose) são aplicadas após o nascimento e com 1 mês a segunda dose de hepatite B, que pode ser adiada para os dois meses de idade. Verificar vacinação dos pais e cuidadores que devem também tomar a vacina contra gripe (influenza).

MEDICAÇÃO: Vitamina D pode ser dada na dose de 200UI a 400UI diariamente até 1ano de idade. Soro Fisiológico várias gotas ou puffs nas narinas quando necessário. Paracetamol 1 gota para cada kg de peso, ou na marca do peso quando for do tipo xarope com intervalo de seis horas em caso de febre e/ou dor. Toda medicação só pode ser administrada a criança após prescrição médica.

PREVENÇÃO DE CÁRIES: faça a higiene da boca do bebê após as mamadas, com gaze ou fralda limpa molhada em água filtrada e fervida; manter a boa saúde bucal dos cuidadores (pais, avós, babás).

PREVENÇÃO DE ASSADURAS: não deixe a pele do bebê úmida; faça a higiene com água e sabão neutro durante a troca de fraldas. Evite o uso frequente de lenços umedecidos e perfumados.

CÓLICAS: É normal até 3 meses de idade. Medidas úteis: compressa quente, massagem, movimentar as pernas como pedalar e se a cólica for muito forte procure orientação médica. Quando apresentar muitos gases pode ser dado Dimeticona 3 gotas 3 vezes ao dia.

VÔMITOS E REGURGITAÇÕES: Quando for esporádico é normal, sempre limpar a boca e após o nariz, e em seguida levantar a criança.

SOLUÇO: É normal. Deixe mamar mais um pouco que geralmente melhora.

ESPIRRO: É normal. Aplicar SORO FISIOLÓGICO várias gotas ou puffs nas narinas quando necessário.

FEBRE: Temperaturas até 37,5 não são consideradas febre. A febre é um sinal de alerta (doença) e um mecanismo de defesa, portanto a medicação deve ser dada para amenizar o sofrimento. Não é necessário dar remédio se a criança está com febre e não apresenta sintomas de mal estar.

RITMO INTESTINAL: quando toma só leite materno, a criança pode defecar enquanto mama, apresentar fezes líquidas e amarelas (semelhante a gema de ovo) várias vezes ao dia, ou pode ficar vários dias sem defecar, sem que isso signifique doença ou problema, desde que ela esteja bem, sem sinais de dor e desconforto. As fezes de cor totalmente branca, preta ou vermelha indicam doença.

SONO: Dorme em média 15 a 16 horas por dia, mais de dia do que à noite, e o sono é racionado (acorda com frequência). No final do primeiro mês de vida, os períodos de sono noturno passam a ser mais longos. Deve dormir de barriga para cima, no berço, e se possível com a cabeça mais elevada do que os pés, quando a criança regurgita com frequência esta elevação deve ser de 30 graus. Não devendo ser levada para a cama dos pais, pelo risco de morte por sufocação.

CRESCIMENTO: Peso aumenta 20 a 30 g/dia nesse primeiro mês; quanto à estatura, cresce de 4 a 5 cm nesse período; quanto ao perímetro cefálico, aumenta 2 cm. Após nascimento a criança deve ser pesada uma vez por semana até termos certeza de que está ganhando peso de maneira normal.

DESENVOLVIMENTO: começa a acompanhar com a cabeça os movimentos dos objetos; quando colocado de bruços ergue a cabeça; sobressalta-se ou abre os olhos em resposta aos sons; fixa o rosto da mãe quando ela lhe fala.

ACOMPANHAMENTO DA AUDIÇÃO: acorda, chora ou se assusta com sons fortes e repentinos, como o bater de uma porta; para e fica atento em resposta a sons prolongados, como o de um liquidificador; acalma-se ao ouvir uma voz familiar. Estimular com músicas suaves e conversa em voz baixa e suave.

VISÃO: O recém-nascido enxerga o rosto da mãe a uma distancia de 20 a 40cm. Pode ocorrer o lacrimejamento alguns dias após uso do colírio ao nascimento na maternidade, se persistir necessita de avaliação do pediatra. Desvios dos olhos (estrabismo) de maneira eventual pode ser normal.

CHORO: É a maneira que o bebe se comunica, podendo não ser sofrimento, verifique a fralda, roupa apertada, frio, calor, ambiente estranho ou barulhento, cólicas, etc. Faça carinho e converse de maneira tranquila. Evite pega-lo no colo toda vez que chorar

ASSEIO: Dar um banho por dia e se necessário mais, sabonete neutro glicerinado sem perfume, observe a temperatura da água do banho (teste com as costas da sua mão) e segure bem o bebê para evitar afogamento na banheira, proteja os ouvidos quando lavar a cabeça.

ACOMPANHAMENTO PEDIÁTRICO: Mensal no primeiro ano de vida; avaliar crescimento e desenvolvimento; orientar alimentação, vacinação e cuidados com a criança; detectar precocemente problemas e prevenir doenças que podem passar despercebidos aos pais.

PREVENÇÃO DE DOENÇAS: Evite levar a criança para locais com muitas pessoas (Shopping, supermercado, bares, restaurantes, eventos em locais fechados, feiras, etc.); lave as mãos toda vez que for pegar o bebê e após trocas de fraldas; não usar perfumes, lavandas e talcos; evite o uso de amaciante na lavagem das roupas. Deve-se evitar contato com animais, insetos, pessoas doentes e limitar ao máximo as visitas.

TRANSPORTE SEGURO: use equipamento do tipo “bebê conforto ou conversível”, fixado no banco traseiro, de modo que o bebê fique de costas pra a frente do automóvel e esteja acompanhado por um adulto, conforme recomendação.

PREVENÇÕES DE ACIDENTES E AGRAVOS FÍSICOS: Cuidado com quedas, inalação de corpos estranhos, envenenamento, queimaduras e afogamento. Manter quarto arejado, sem corrente de ar. Limpar o ambiente com a criança ausente, passando pano úmido no piso e móveis. Não deve ser deixada sozinha sobre mesas, de onde poderá cair, mantendo-a sempre em lugar seguro. Verificar sempre a temperatura da água do banho e nunca deixar sozinha na banheira, nem mesmo o tempo de apanhar uma toalha. Mantenha a grade do berço levantada. Mantenha os objetos pequenos, os objetos perigosos e as substâncias nocivas (remédio, produtos de limpeza, tintas e pinturas que contenham chumbo, etc...) fora do alcance. Use colchão firme, cobertas leves e não usar travesseiro. Cuidado com peças em forma de saco que podem causar sufocamento.

EXAMES REALIZADOS APÓS O NASCIMENTO: Teste do reflexo vermelho(olhos), pezinho, orelhinha, coração, língua e outros conforme avaliação do pediatra.

ATENÇÃO PARA OS SINAIS DE ALERTA: febre (maior de 37,5º) ou hipotermia, cianose (lábios e extremidades roxas), pele marmóreas, palidez intensa, icterícia (pele amarelada); desconforto respiratório, hipoatividade, irritabilidade intensa, regurgitação/vômitos frequentes, distensão abdominal, diminuição ou recusa alimentar, ganho ponderal insuficiente ou perda de peso. A presença desses sinais indicam a necessidade de avaliação do pediatra.